Entre roupas evangélicas e mentes evangélicas

Posted by on 21 21UTC novembro 21UTC 2007 | 73 comments

Entre roupas evangélicas e mentes evangélicas

Estava lendo a VEJA outro dia e descobri que existem fábricas de confecção especializadas em roupas evangélicas. A revista mostrava várias fotos de uma modelo elegante vestida de evangélica. As roupas até que nem eram feias, nem a reportagem claramente pejorativa. Parecia uma matéria factual, sem tendências, que se atinha a mostrar este setor especializado como a descoberta de um novo nicho de mercado…

Uma coisa destas numa revista de circulação nacional deve nos fazer parar para pensar. Resta saber que ferramentas mentais vou usar para pensar. Afinal de contas, pensar não é fácil e definitivamente temos aprender como. Posso pensar com minha mente carnal, com minha crente brasileira, com mente cristã, e mais umas tantas outras, mas vamos focalizar nestas três no momento.

A mente carnal gosta de sucesso, fama, projeção… “-Puxa que bom, estamos na VEJA, isto é sinal que dentro em pouco, quem sabe entraremos em grande estilo nas novelas da Globo, protagonizando romances do tipo dos que acontecem na vida real “evangélica”, fora ou dentro do casamento, não importa, desde que seja da vontade de Deus…” (nesta hora a mente carnal sabiamente substitui a vontade humana pela de Deus, mas tudo bem, já sabemos que ela é carnal mesmo, e sua especialidade é usar subterfúgios religiosos para nos enganar). Já estamos na Caras também, o que combina com a pregação de prosperidade que temos nas nossas igrejas, que benção dentro em breve conquistaremos todos os ricos e famosos do Brasil e nossa renda aumentará em muito..”. E por aí a mente carnal iria, neste território, se felicitando pelo feito, pensando em novos mercados para os crentes, água mole em pedra dura, tanto batemos com nosso estilo evangélico de ser, que finalmente conquistamos espaço…

A mente crente brasileira mais genérica se aproxima um pouco da carnal, infelizmente: “-Ah, bom, estamos na veja sinal de que a sociedade está nos respeitando, e olha só estamos “discipulando” o Brasil numa das coisas que ele mais precisa, na bandalheira são as roupas das mulheres, e com esta conquista de mercado, quem sabe conseguiremos tornar as brasileiras menos sensuais, abaixo a imoralidade, vamos orar contra, e fazer um culto de adoração, porque vestimos o bumbum do Brasil.” É, esta me parece ser a reflexão da mente crente mais comum mas pode ser que hajam algumas variações aqui e ali. Pode haver um grupo que vai se envergonhar, e neste grupo estão os crentes “modernos” que tem como prática cristã o não ter ética no vestir. Mas mostramos o tempo todo que queremos ganhar a moralidade na marra, pensamos que com “nãos-nãos, sai-sais, e quebra-quebras”, vamos mudar as pessoas. Pensamos em moral como algo externo, estabelecemos com mais facilidade o que é a prática cristã do que o que é a ética cristã.

Agora vem a dificuldade. Deveria colocar aqui o que pensaria o que considero ser a mente cristã ao ver aquela notícia na Veja. Mas para meu horror, e espero que te cause o mesmo horror que a mim, verifico que não é fácil pensar com uma mente cristã. Parece que tal coisa a mente puramente cristã, desprovida de religiosidade e vícios culturais, a mente não secularizada, não influenciada pela visão de mundo pós-moderna, não embotada por anos de religiosidade alienante, não existe… Tenho que concordar com o autor Harry Blamires[1] que escreveu um livro para dizer que no mundo atual não existe um pensamento cristão, ou uma mente cristã. Existe a ética cristã, a prática cristã, a espiritualidade cristã. Mas do pensamento cristão, nós crentes estamos longe. O pensamento cristão pensa tendo como referência a Bíblia e a revelação da pessoa de Deus sobre tudo o que existe. Para o pensamento verdadeiramente cristão, não há diferença entre secular e sagrado, religioso e profano. O pensamento cristão não deveria se ocupar apenas do que é religioso e diz respeito à igreja, porquê Deus não criou apenas a igreja, ele primeiramente criou o mundo inteiro.

Tudo o que nos rodeia deveria ser revisto pela ótica divina. Todas as idéias nos interessam as tendências, as sociedades, as sub-culturas. A mente cristã a todos ouve e não se fecha dogmaticamente diante de rótulos. Muitas vezes concebemos um Deus religioso olhando para este mundo, e colocando pessoas em caixas. Este Deus olha e vê uma mulher gritando. Ela foi oprimida por uma cultura machista e repressora, vítima de violência física e abusos de todo tipo. Seu grito que corta o ar é: – “Abaixo a violência contra a mulher!!” Deus olha, franze o cenho e diz: –“ Hum… ela é apenas mais uma feminista. Vá obedecer os homens, muié sem vergonha!!”

Na esquina tem outro grupo. Desta vez são sem-terra honestos, precisando de terra e de pão. Deus se lembra de ter ouvido este clamor antes, nas obras de Portinari dos homens com mãos grandes, no romance de Graciliano Ramos, quando a migração se dá no inverso, no lirismo da música do Chico Buarque:

“Zanza daquiZanza pra acolá

Fim de feira, periferia afora

A cidade não mora mais em mim

Francisco, Serafim

Vamos embora[2]

Mas Ele finge não saber de nada disto porque são coisas “do mundo” e rapidamente se recupera daquele momento de compaixão, lembrando-se de que é um religioso, o próprio Deus afinal de contas, e de que não deve se misturar com estas coisas de políticas humanas, afinal no que Lhe interessa são as almas e faz um muxoxo, dizendo com reprovação: “Marxistas…”

Depois, um pouco entediado consigo mesmo talvez, se volta para seus crentes e se põe a vigiar-lhes o comportamento para saber se vai recompensar-lhes ou não segundo as suas obras…

Felizmente esta é a visão que nós temos de Deus e não a visão que a Bíblia nos passa. O verdadeiro pensamento cristão integra o mundo e suas necessidades com a fé, entendendo o Deus que na Bíblia se importa sim com desigualdades sociais e faz leis e sanções á respeito, se importa com os oprimidos e miseráveis, se torna o Deus das viúvas e dos órfãos. Deus não tem medo de pensar porque ele não teme perder a fé em si mesmo, aliás ele chama os maiores pensadores do mundo para a argumentação. (A bíblia está cheia de “vinde e arrazoemo-nos, mas não traz nem uma vez uma afirmação do tipo: “-em comunicado especial Deus afirma que ele existe sim, e que não devemos duvidar de sua existência.”) Não nada disto, Deus não se preocupa em afirmar-se, apenas diz: – “o estúpido diz para si mesmo que eu não existo, e todos os homens são indesculpáveis porque os céus gritam para todo lado não só minha existência, mas minha glória…”

– Xiiii…. Peraí, vai com calma Deus não se mostre tanto assim, porque pensamos que conhecer sua existência é privilégio dos evangélicos…

Mas Deus parece nem notar que somos assim exclusivistas e vai se revelando a justos e injustos… Nem todos os seguem, é verdade, mas até bêbados, na verdade ex-bêbados como o João Ubaldo quando querem dar uma “brechadinha” nas verdades de sua revelação pessoal conseguem, afinal está tudo tão claro ali na Palavra… Quando escreveu o conto: “O Santo que não acreditava em Deus, João Ubaldo à moda do João da Bíblia entendeu que a essência de Deus é amor e não religião, e visualizou um Jesus se encarnando hoje, de repentinho, no sertão nordestino. E este Jesus se chama Salvador, e não se importa se as pessoas são religiosas ou não, mas ao andar vai conhecendo a cada um, revelando seus segredos para elas mesmas, amando os desamados e respeitando os desrespeitados, tudo isto porquê é com cordas de amor que Ele nos atrai e não com cordas de preconceito e religiosidade.

Nem o cinema ele discrimina e se revela nas mãos de diretores como Spielberg, falando contra o nazismo, o racismo, no rosto de atrizes como Fernanda Montenegro em Central do Brasil, encontrando o amor e a moral numa caminhada com um menino sem pai.

Deus é assim, um cara mais legal do que o que a gente pensa. E o pensamento cristão se existisse como Ele, Deus, existe olharia com surpresa para a tal roupa evangélica. Mas roupa evangélica? Diria a mente cristã: Cadê o amor evangélico, a redenção social evangélica, a transformação de valores evangélica? Mas a surpresa e o choque pela ausência de idéias tão essenciais não lhe impediria de continuar tentando nos ensinar a pensar.


Bibliografia

[1]”The Chrisitian Mind” – Henri Blamires (www.godlife.com)
[2]Assentamento, Chico Buarque, 1997

Publicado originalmente em www.jocum.org.br

73 Comments

  1. Adorei o texto! Eu concordo que … “O problema do brasileiro é não ler”…
    Parabéns, que possamos sair do nosso mundinho fashion e ir em busca daqueles que estão morrendo. O verdadeiro exemplo, está na demonstração do amor e carinho que o Senhor quer que exteriorizemos.Denominar-se crente, ou, simplesmente vestir-se de maneira díspar, não é prova de uma coração puro e quebrantado pelo Senhor. Ser cristão é viver em meio de lutas, provações e exortações do Senhor. Sinceramente, acredito que um mero jogo de marketing não irá modoficar o coração poluido pelo pecado, pelo contrário, irá distancia-lo cada vez mais do Senhor. Estar com Cristo, é mostrar-se subordinado a Ele, amor este que será desmostrado em sua forma de pensar, andar, conversar, e até mesmo se vestir.

  2. Acho que moda evangélica é uma tendência de um grupo de pessoas que – tal qual qualquer outro grupo – gosta de demonstrar seus valores também através de seu visual. Pensando nisso, mantemos uma loja especializada em Moda Evangélica que revende para todo o Brasil e é um sucesso desde 2010. Tanto é o sucesso que abrimos uma loja física em São Paulo, onde nossas clientes podem provar Moda Evangélica de marcas como Raje, Dahouk, Kauly, Joyaly, entre outras. Fiquem com Deus e se quiserem conhecer o link é Jeans Moda Evangélica

  3. EU ADOREI TUDO ISSO E INCRIVEL ESSAS COISAS EVANGELICAS

  4. Exelente… Deus faz nascer essa essencia em mim!

  5. Oi! Pessoal da jocum. Amei a mensagem da senhorita Braulia. Eu como to dandos os meus primeiros passos verdadeiramente, e uma bencoa na minha vida, por que serei menos hipocrita, em meus pensamentos cristã… Obrigado… Deus e fiel, e sua fidelidade nunca falha. E peço para meu paizão, abençoe sua vida Braulia e sua familia, e a galera do jocum… Bjs.

  6. Oiie genteee pessoal aee da Jocum….. gosto mto do trabalho de vcs… voces são uma benção…Que Deus venha estar abençoando vcs cada vez mais….Sou akie de são josé do vale do Rio preto… vcs o tempo que estão na minha igreja tem sido uma benção pra nossa cidade….cada apresentação que vejo de voces Deus fala cada vez mais de forma diferente…..
    Um abraço grande….Daniel, Pablo, Carol, Camila, Gabrielaa e Reja que Deus abençoe mto mto mto mto voces………..
    Fikem na Paz de Cristo Jesus…..

  7. Como os “evangelicos” são irritante, texto maravilhoso!

  8. Eu entendi o sentido da mensagem. Parabéns a autora. A verdade é que estamos tão preocupados com a vaidade de sermos vistos como pessoas de conduta diferente, como pessoas diferentes daquelas que julgamos perdidas, que esquecemos do essencial.O rótulo, as vestes, na maioria das vezes,neste mundo evangélico, não condiz com o conteúdo,com a essência da vivência cristã,com aquilo que é importante para Deus!

  9. Que pena! Este texto ainda está no ar. Bráulia Ribeiro está confusa a respeito do amor de Deus e não conheçe a Cristo. Alguém da JOCUM evangelize ela!!!
    Precisamos anunciar a Cristo. Com ele no seu coração você perceberá o seu propósito e vai se preocupar com o que verdadeiramente vale a pena se preocupar. Cristo está vivo!!

  10. “Tudo lhe é licido mas nem tudo lhe convém…” portanto façamos somente o que Deus manda ao nosso coração ok?

  11. Adorei o texto! Como eu sempre digo… “O problema do brasileiro é não ler”…
    Parabéns, que possamos sair do nosso mundinho fashion e ir em busca daqueles que estão morrendo. Se a igreja se preocupasse menos com coisas fúteis com certeza o Brasil seria bem diferente…

  12. Kelly costa minha querida… preste mais atençao , leia o texto novamente e peça a ao ES pra te revelar a profundidade , peça entendimento, e outra coisa, quem escreveu foi uma mulher está escrito o nome dela bem no topo do texto, olhe lá que vc vai conseguir. bj

  13. Meu Deus como falta entendimento a certas pessoas, entendi perfeitamente o que a autora quis dizer.

  14. …é…não é fácil ler a verdade! concordo com o texto, e peço ao Senhor que faça-nos verdadeiros cristãos, começando por mim!…Deus abençoe! um abraço

  15. Parabens a autora,

    todos os meus queridos irmãos que nao entenderam a texto, lembrem-se que nossa luta nao é contra a carne, nem contra o sangue…

    “nao vos conformeis com este mundo,mas transformai-o pela renovação da vossa mente” ou seria pela renovação das vossas roupa?….rsrs
    talvez se Jesus caminhasse com suas roupas empoeiradas e modestas.. talvez alguns “evangelicos” comentassem: “quem eh esse? nossa… ele nao deve ser evangelico..pq a roupa dele é tão estranha e diferente da nossa” e o outro respondia: “agora fiquei na duvida…realmente essa roupa nao é evangleica…”

    Deixemos nosso egoismo (incluo a mim) e tentemos ser parecidos com Cristo, cristãos… pq evangelico eh fácil ser…
    Deus abençoe a todos.

    Esse meu texto não foi nada evangélico….

  16. Parabens a autora,

    todos os meus queridos irmãos que nao entenderam a texto, lembrem-se que nossa luta nao é contra a carne…

    “nao vos conformeis com este mundo,mas transformai-o pela renovação da vossa mente” e nao pela renovação das vossas vestes….rsrs

    Deixemos nosso egoismo e tentemos ser parecidos com Cristo, cristãos… pq evangelico eh fácil ser…
    Deus abençoe a todos.

  17. Bráulia,

    Muito bom seu texto, as prioridades estão invertidas realmente. Há muita frivolidade do meio chamado evangélico. Existem excessões, com certeza, mas a mediocridade impera em geral. É como sempre ouvi dizer ”Deus vem buscar um povo dentro de um povo”. Existe a Igreja Viva em meio a essa igreja institucional que criou uma pseudo-cultura cristã cheia de dogmas, hipocrisias, soberba. A maioria dos críticos aqui NÃO SABEM INTERPRETAR UM TEXTO EM PORTUGUÊS, devem ser adolescentes em fase de maturação ainda.

  18. Olha gente me desculpem se eu estiver errada, mas acho q poucos dos que comentaram aqui, realmente entenderam o que o autor escreveu.
    Não gostei dessa “moda evangélica” primeiro pq não devemos ser rotulados por sermos evangélicos, não precisamos sair numa revista falando sobre nossas vestimentas pois já sabemos muito bem como nos vestir, deveriamos sim nos preocupar com o que o autor falou “-Cadê o amor evangélico, a redenção social evangélica, a transformação de valores evangélica?” Deus não está olhando pra nossa roupa, mas sim pro nosso coração, e na nossa intenção em cada coisa que fazemos. De que adianta, certas doutrinas apenas usar saia abaixo do joelho, não usar maquiagem, não pode isso, não pode aquilo, não é assim que funciona, se em casa não somos iguais, se o nosso coração não se mantém limpo e puro! Deus não quer nos julgar e sim nos amar, mas Ele quer q nos façamos ser amados.
    Antes a reportagem na Veja! fosse sobre alguma ação social, ou ong ou qualquer outro artigo que nos fizesse sentirmos ao menos úteis para a sociedade em geral.
    Ao autor, parabéns pelo texto, muito bem colocado!

  19. Na verdade, não são roupas, uma moda totalmente privativa, ou atitudes de segregação que irá tornar o cristão um exemplo,para a sociedade. O verdadeiro exemplo, está na demonstração do amor e carinho que o Senhor quer que exteriorizemos.Denominar-se crente, ou, simplesmente vestir-se de maneira díspar, não é prova de uma coração puro e quebrantado pelo Senhor. Ser cristão é viver em meio de lutas, provações e exortações do Senhor. Sinceramente, acredito que um mero jogo de marketing não irá modoficar o coração poluido pelo pecado, pelo contrário, irá distancia-lo cada vez mais do Senhor. Estar com Cristo, é mostrar-se subordinado a Ele, amor este que será desmostrado em sua forma de pensar, andar, conversar, e até mesmo se vestir.

  20. jesus estar voltandos meus querido!!!vamos pregar o evangelio de cristo

  21. O que vai nos levar para o céu, nos salvar, será a nossa fé, o nosso amor. Será maravilhoso quando deixarmos de ser crentes e passarmos a ser cristãos na essência do amor de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Quando formos para junto dEle iremos sem roupas, nus para recebermos uma nova vestimenta. Que nossos corações estejam também nus de precoceitos e soberbas, de placas e denominações. Como algumas pessoas podem se apresentar como crentes (prefiro aqui dizer cristãos), se fazem diferença entre as pessoas? A palavra de Deus nos ensina que, Deus, não vê o homem como o homem o vê, porque o homem vê a aparência, mas Deus, que tudo vê, vê o coração do homem. Deus nos vê por dentro, por trás das roupas de crente. É claro que devemos ter alguns cuidados, com nossa aparência, a maneira como nos comportamos, falamos, agimos, vestimos, pensamos…, mas, se você realmente entregou sua vida para o Senhor Jesus, o filho do Deus vivo, pode ter certeza absoluta que o Espírito Santo de Deus, vai ensiná-lo em como você deve apresentar-se, e não vai permitir que você seja envergonhado(a) e tão pouco seja motivo de escândalo.
    Se nos entregarmos de todo o nosso coração a Deus, vamos sim para o céu habitar com Ele. Com saia, com calça, com cabelos curtos ou compridos, com esmalte nas unhas ou sem, com maquiagem ou não. O que realmente importa é o teu coração diante de Deus.
    Vamos pedir sabedoria para Deus, assim poderemos parar de pensar e agir como o crentão sem manchas ou pecados, o sabe tudo. Jesus nos deixou um precioso mandamento, creio ser este o mais importante e o que se vivido e sentido, nos fará cumprir os 10 anteriores. “Amar”, amar a Deus de todo o nosso coração, de toda a nossa alma. Amar o nosso próximo como nos amamos.
    A ordem é a seguinte: Se primeiro amarmos a Deus, que nos criou e nos aceitou, que nos deu a vida, nos amou e vai amar até o fim, para nos dar um novo começo junto dEle, então conseguiremos nos amar e só assim amar o nosso próximo. Conheceremos o verdadeiro amor. E sómente assim, poderemos dar o que possuímos, Amor. Ele é o princípio.
    Ninguém consegue dar o que não possui.
    Povo de Deus, parem de agir e pensar com os olhos da carne, parem de se preocupar com coisas pequenas. Vamos nos preocupar com a nossa alma, com tantas vidas que precisam urgentemente conhecer o amor de Jesus. Como poderemos pregar que Jesus, cura, liberta e salva, se nos achamos diferentes, se nos achamos melhores por causa das roupas de crentes que vestimos. Temos de mostrar que somos diferentes pelo amor de Jesus Cristo, pelos sinais que acompanham aqueles que seguem a Ele. Abrançando e recebendo principalmente aqueles que precisam viver o amor de Jesus e também olhar com amor nossos irmãos na fé em Jesus Cristo.
    Jesus está voltando, eu creio nisso e você? Vai continuar achando que Ele vai olhar para sua roupa quando chegar? Ou quem quem sabe, vai visitar primeiro a sua igreja, porque a placa dela é mais luminosa ou mesmo mais discreta. Jesus é amor. Foi por amor que se fez carne para vir ao mundo, foi por amor que nos deu a vida, foi amor que Ele ressuscitou, é por amor a mim e a você que Ele vive e que Ele vem, vamos deixar que Ele, que é justo, nos corrija e nos julgue. Vamos olhar o mundo e tudo o que nele há, com os olhos de Jesus Cristo. É difícil? Nada é impossível ao que crê!
    Deus abençoe esta obra maravilhosa.
    Deus abençoe a todos, peço uma benção especial as missões com seus missionários, homens e mulheres de Deus com um único propósito, levar com amor a palavra de Deus e pela fé, poder contemplar os muitos milagres que Deus tem operado para que esta obra maravilhosa continue tendo suas necessidades supridas e sendo sustentada.

  22. oi gente…eu acho que assim como foi dito acima, as pessoas estão com dificuldades para interpretar o texto. O autor não está colocando em primeiro plano o fato da moda evangélica ser boa ou ruim e sim o fato de ficarmos presos a coisas pequenas e esquecermos da essência que é CRISTO. Andar como Cristo andou…Acredito que não é preciso uma moda evangélica para as pessoas saberem como devem se vestir, se for assim todo homem que usa camisa e calça social seriam enquadrados na moda evangélica ou na moda do mundo?! O que mais vemos são homens vestidos assim tanto na igreja quanto em ambientes de trabalho ou mesmo na rua!!! O que precisamos é AMAR mais o pecador e ODIAR mais o pecado!
    Fiquem com Jesus! =*

Deixe uma resposta para helen gonçalves Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.