Satanizaram o Natal

Posted by on 2 02UTC janeiro 02UTC 2012 | 18 comments

De como os evangélicos vão ficando cada vez menos humanos e trabalham sem saber para a desevangelização do Brasil

Satanizaram o Natal. Me parece até surreal quando vou a igrejas, e a sites evangélicos, e não se faz nem uma referência ao Natal sequer, nem se tem um culto de celebração dia 24, ou 25 parte da tradição cristã há tantos séculos. Às vezes não acredito, me belisco, penso, não, esta doença vai passar, mas que nada, se alastra mais e mais. Mesmo os cristãos que contra a corrente mandam seus cartõezinhos, se sentem no dever de nos exortar contra o comercialismo, contra os presentes, no meio de votos tímidos de felicidade e feliz ano novo. Quando encontro um irmão na rua e desavisadamente comprimento com um animado: “Feliz Natal!” Eles me olham como se estivesse falando uma heresia, ou num ar condescendente explicam que já não estão mais neste mundo e que Cristo nasce todo dia….

Tradições religiosas como o Natal tem o papel de reforçar valores sociais comuns. Enquanto no carnaval e no reveillon, a tradição é subverter valores, se esbaldar, praticar o impraticável durante o resto do ano, por isto são chamados por Roberto Damatta, antropólogo brasileiro de “ritos de inversão”, na festa do Natal principalmente os trabalha para reforçar os valores positivos. Natal é a festa da família, de comer juntos um peru, de decorar a árvore ou o presépio, de cantar hinos, de se presentear os amigos, os familiares, de dar gorjetas maiores, de pensar nos que estão distantes. Nesta época Holywood lança inúmeros filmes sobre pais e filhos, pais desnaturados com valores errados, que de alguma forma perderam a noção do que é importante, e nesta época se encontram com algo que “os converte” novamente à família. Nesta época até os sem religião ficam com os olhos marejados diante de um presépio bem feito, ou dos garotos cantando canções natalinas nas janelas do HSBC em Curitiba.

Boicotar as festas cristãs mais importantes como o Natal e a Páscoa é boicotar-se a si mesmo, perder uma boa oportunidade para falar de Cristo, abraçar pessoas, espalhar fraternidade e carinho numa época em que as pessoas se voltam automaticamente umas para as outras. Nossa vida em sociedade é feita de ritos, tradições e heranças simbólicas. Estes crentes anti-natal, dominados por um zelo místico e sem respaldo bíblico querem renegar todas suas tradições culturais, até as mais inofensivas.

Ritos de reforço são tão necessários quanto ritos de inversão. Não é porque nos convertemos que deixamos de ter cultura. Continuamos a ter necessidade de reforçar socialmente o que acreditamos. Ironicamente a falta do Natal, junto com a demonização de certos símbolos cristãos como a cruz, continuou tendo este mesmo fim social. Se tornaram os “desritos” que reforçam a separação evangélica do mundo. Mas porquê se tornaram necessários artifícios sociais como estes, se a nossa cultura cristã quando puramente bíblica já nos “marca” automaticamente com uma diferença moral, já nos banha como o hissopo da conversão do caráter que tem não tem paralelo a nenhuma outra experiência humana? A mudança de caráter, a conversão de valores é segundo Jesus (Jo17) e deveria continuar sendo a maior marca que torna os cristãos conhecidos não importa a cultura, os ritos que praticam ou deixam de praticar, a freqüência ou não na igreja.

Infelizmente o sincretismo moral tomou conta da igreja. Pregamos nos nossos púlpitos do mesmo jeito que se prega nas palestras de auto-ajuda nos auditórios de hotéis. Você pode, você merece, você tem direito. Estamos debaixo da soberania do eu, da tirania da felicidade egoísta. Se distribuem riquezas, beleza, orgasmos múltiplos, alegrias festivas nos púlpitos, numa supercialidade que nos faz duvidar que Jesus morreu na cruz, mas deve ter acendido aos céus numa almofada cor de rosa.

O Natal vai sim se tornar uma festa cada vez mais pagã. Vai se falar mais em trenós, duendes e renas, neve (mais uma estupidez nossa, europeus dos trópicos) e cada vez menos no nascimento de Jesus, porquê nós não vamos estar presentes no cenário cultural geral para salgar nada. Vamos ignorar a importância da história mais recente, super-valorizando uma origem pagã datada de milhares de anos atrás.

Nosso cristianismo vai se tornar apenas uma experiência mística vazia, ao invés de uma realização do fato mais importante da história da humanidade, o nascimento do criador em forma de homem. Fato constado historicamente, documentado, materialmente fisicamente e culturalmente real num dia específico da história humana. Um dia ele nasceu, não sei se em setembro, novembro ou dezembro, a acuracidade do mês e do dia não importa tanto quanto o evento. Um bebê humano em toda sua fragilidade, chorou ao ser parido por uma mãe humana. Mas nele havia o DNA divino. Nele estava contida toda a plenitude da divindade, numa maneira que nossa mente limitada não alcança entender. Ele era Deus mas não teve por usurpação o ser igual a Deus, mas antes tomou a forma de servo e seguiu até a morte na cruz.

Nascer, viver, morrer e ressucitar de uma maneira divina, no entanto humana foi sua mensagem principal. Eu os amo, amo a ponto de me encarnar, de me limitar à sua humanidade, de me tornar criatura, eu o Criador, e assim ensinar-lhes como viver. E assim marcar a história humana com um AC DC. E assim me tornar o autor da maior transformação que a humanidade já sofreu. Esta história que se repete hoje nas nossas vidas, é verdade que ele “nasce” dentro de nós quando nos convertemos, teve um início.

Só me resta agora lamentar nossa ignorância. Ignorância religiosa, sociológica, cultural. Desprezamos símbolos importantes numa fase em que deveríamos reforçar-lhes o valor. Iludidos por ensinos enganadores, superficiais, que desconsideram tanto a história deixamos de relembrar a humanidade do que ela já sabia, mas está esquecendo.

Só me resta lamentar este evangelicalismo armadilha no qual fomos presos. Não sabemos ser cristãos mais. Tornamos-nos semi-bruxos exotéricos, neo-cristãos-medievais próximos das experiências místicas, mas distantes das verdades históricas profundas. Somos capazes de pregar uma felicidade terrena sem limites, mas incapazes dos sacrifícios morais, incapazes da verdadeira santidade, somos capazes de discriminarmo-nos uns aos outros com base em sutis discrepâncias doutrinárias, no entanto incapazes de amar.

Feliz nada para nós, pobres cristãos sem sal.

18 Comments

  1. Excelente texto. Perfeito! Perfeito! Vamos parar de bobagens, E vamos evangelizar! Não comemorar natal pq supostamente antes era a data da comemoração de um deus pagão é idolatrar esse antigo deus pagão, comos e ele tivesse propriedade de algo. Todos os dias pertencem ao senhor. E a igreja cristã escolheu essa data, aproveitando dos costumes da cultura na época para comemorar o nascimento de Jesus. Isso foi uma estrategia amados, que tanto deu certo que hoje nós somos cristãos. Sabem quantos mulçumanos hoje ouvem falar de Jesus por causa dessa data??
    Então alguém se acha mais cristão pq não evangeliza no natal?
    Meu irmão enquanto voce entrega a data pra Satanás, pro Papai noel, Tem gente que briga para entregá-lo ao Senhor, combater o consumismo e falar do nascimento do nosso Redentor.
    E pensar que essa bobagem de não evangelizar o natal começou de um movimento cheio de heresias que maioria da igrejas abandonaram. Mas ainda ficam esses ranços que precisam ser extirpados em nome de Jesus. Vamos parar de comemorar festas da antiga aliança e vamos dar valor a Nova Aliança, ao Novo concerto que é muito superior ao antigo. Vamos parar de preguiça, vamos parar de discursos vazios e hipócritas, vamos parar de desculpinhas fajutas. Vamos Evangelizar!

  2. Cristo não fez questão que nos lembrássemos de seu nascimento mas sim de sua morte e ressurreição.
    Ironia querer fazer o bem a outrem somente no natal não acham? Eu realmente nunca gostei da época de natal, é tanto simbolismo, falsidade…

  3. Ola! Braulia, Eu sou irmã de Alice e Valde da Terceita \igreja Batista de Stna Efigenia em BH. Valde hj é pastor da Igreja Batista das Oliveira em Cel. Fabriciano MG. Envia noticias. fale conosco. bjjss

  4. Só pra constar: Pelo que vejo aqui muitos viram o texto, mas não leram a sua essência! por não lerem não se deteram ao essencial! a grande maioria estão cheios de conhecimentos enciclopédicos, e defende sua tese com o rigor de uma banca universitária. Que feito!
    Mas o que leio e vejo é o retrato da igreja que se intitula a “igreja de Cristo”! Igreja manchada, desunida, corrompida pelo seu proprio egocentrismo tipicamente condizente ao espirito dos últimos dias. Esse cientificismo polido, tão presente nos dias em que Jesus combatia os fariseus em suas sinagogas; e tão profeticamente apregoado por Ele mesmo em seus discursos as multidões… tão sem sal…..
    Prefiro está com aqueles que fazem a diferença, que se humilham, com aqueles que dão a outra face a bater… com os que lutam contra a maré e caminham mais uma milha!
    Só posso lamentar como a igreja está enferma! Que o Senhor nos livre do mal! Amém.

  5. Meu sentimento:

    Natal não mais existe, é apenas um grande feriado comercial.

  6. concordo com o Tiago, entendi o que a Brulia quiz passar, porem, como serva de Deus, ela esta muito equivocada com esses comentarios.
    espero que em breve ela rejeva todos seus argumentos e mude seu documentario
    seja humilde nao fique chateada com ninguem, estamos aqui para ajuda-la, assim como vc tentou nos ajudar com sua opiniao.

  7. Todo cristão deveria se concientizar disso mesmo, isso tbm é ser livre!

  8. Sim pode ser que nossa irmã Braulia não foi feliz em seu texto, mas afinal somos ou não irmãos em Cristo? Será que não faltou o que Jesus quer de nós “AMOR” nos comentários?
    “Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento’ e ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’”.(Lc 10:27)
    O desejo do perverso é fazer o mal; ele não tem dó do próximo. Provérbios 21:10

    Que Deus os abençoe

  9. Amigos, vocês estão interpretando o texto equivocadamente. Me pergunto se realmente leram…

    Eu agradeço todas as citações a Enciclopédia Britânica, Americana, e outras tantas explicando que alguns elementos usados por nossas sociedades na celebração do Natal tem origem pagã.

    Eu no entanto, cito o profeta Isaías:

    Tu multiplicaste a nação, a alegria lhe aumentaste; todos se alegrarão perante ti, como se alegram na ceifa, e como exultam quando se repartem os despojos.
    Porque tu quebraste o jugo da sua carga, e o bordão do seu ombro, e a vara do seu opressor, como no dia dos midianitas.
    Porque todo calçado que levava o guerreiro no tumulto da batalha, e todo o manto revolvido em sangue, serão queimados, servindo de combustível ao fogo.
    Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.
    Isaías 9:3-6

    E ainda o Evangelho de Lucas:

    “E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.
    E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:
    Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.

    E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.
    E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo:
    Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens

    Lucas 2:9-14

    Isaías anunciou que o nascimento do Messias é um evento em que TODOS SE ALEGRARÃO, como se alegram na colheita, como quem repartem despojos.

    Os anjos celebraram. Gloficaram a DEUS nas Alturas. O Nascimento de Jesus foi o primeiro dos dois maiores eventos da História humana.

    Vocês estão olhando para a árvore e os seus pobres enfeites. Isaías olha para o menino. Vocês se irritam com os presépios falsos, os anjos se alegraram com a manjedoura verdadeira.
    Você pode alegrar-se com Isáias e cantar com os Anjos, ou pode preferir chorar as pitangas com a Enciclópedia Britânica. Eu fico com a primeira opção.

    Cordiais Abraços,

    • Meu,irmão e preciso ler a Biblia,nunca na historia da igreja se comemorou o nacimento de Jesus e sim a sua Morte e ressurreição,quando os três reis chegaram com ouro incenso e mirra, era presente que se oferece a um Rei, não era presente de aniversario pois Jesus já estava mais ou menos com 2 anos,lenbre-se que Farao mandou matar todos os meninos de 2 anos para baixo.
      Arvoré de natal,na minha Biblia nunca li sobre isso: e o primeiro aniversário da Biblia, foi o de Herodes e o seu presente foi a cabeça de João Batista, não que não devemos comemorar aniversario mais ter cuidado com o que ensinamos, pois só acreditamos numa mentira quando não conhecemos a verdade, então porque continuar pregando uma mentira quando a verdade foi revelada.
      Vamos continuar comemorando a ceia do Senhor, pois nela sim poderemos comemorar nacimento morte e o preicipal ressurrreição de Jesus.

      • Meu irmão, eu preciso ler mais a Bíblia sim. E leio. Com o devido respeito, O irmão deveria fazer o mesmo.
        Deveria ler também o texto da articulista, ou pelo menos o meu comentário, para entender o seu contexto.
        Se o fizesse, perceberia que ele não trata de legitimar ou não a comemoração de festas de aniversários, mas sim de enxergar o seu real significado, em meio a uma espiritualidade cada vez mais dicotomizada, e manca.

        Como já disse antes, eu prefiro alegrar-me com o Profeta Isaías.

        Cordiais Abraços,

        • Wellington! em nenhuma passagem da bíblia refere-se à TRÊS REIS, e sim alguns. acho melhor observar bem.

  10. Tiago Scaffo, perfeito texto! era o que eu iria dizer a autora deste texto sem base no evangelho. Obrigada por deixar suas palavras, Tiago! que Deus te abençoe.

  11. Concordo com Tiago Scaffo.

  12. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk lapada ein senhora sabe tudo !!! aff Jesus volta logo.
    Mano Tiago Scaffo to contigo nao abro nem pra um trem carregafo de ferro.

    Acho impressionante:
    Braulia Ribeiro
    Pioneira no Norte do Brasil trabalhando entres tribos indígenas, é missionária de Jovens Com Uma Missão desde 1980. Formada em Etno-lingüística pela University of the Nations no Havaí, e com mestrado em Lingüística Antropológica pela Universidade Federal de Rondônia. É casada com Reinaldo Ribeiro e depois de muitos anos juntos liderando o Ministério Transcultural em Porto Velho-RO, hoje trabalham em Kona, Havai. Leia também seus artigos na revista Ultimato.

    E nao estudou de onde veio o costume de natal? kkk ai ai! rasga os diplomas princesa. e começe orar e jejuar; e isso vai te levar a genuina comunhao com Deus e te dar dicernimento,direcionamento. Voce pensou mesmo que somos um bando de nativos sem formação e sem informação, sem conhecimento?!. Afinal todos somos formadores de opniao em nossas comunidades, e falar de Cristo nao é pra qualquer um; Mais respeito! Nao é qualquer reino que vc representa, nao toque nos ungidos, os ridicularizando… ou vc acha que nos aqui no Brasil nao temos noticas de como os cristãos estao vivendo ao redor do mundo ? Raça sem compromiço! e com tanto tempo de liderança amada BRAULIA no minimo vc tinha que ter bom censo e conhecimento .
    OBS: pega todas as dicas do Tiago Scaffo e aproveite e pesquisa tbem sobre Íses e Osíres kk que na católica são a irmã e Maria e o outro é meu Rei, o raboni da galiléia, a saber Jesus O Cristo #ficadica

    Vamos parar com Show e voltar ao velho evangelio simples!

    Dário Rigolberto simplesmente um servo. 27 anos de idade

  13. É por isso que a igreja cristã vai de mal a pior. O natal nunca foi e nunca será uma festa cristã. Só para começar farei uma pergunta a você que está lendo: Você comemora seu aniversário ou o aniversário de alguém fora da data? Bom, eu acho que ninguém comete esse equívoco. Na verdade não há nenhum respaldo bíblico para comemoração de aniversário, mas isso já é outro assunto. A questão aqui é o natal. Eu acho impressionante os argumentos que usam para defender essa festa, como por exemplo: “Boicotar as festas cristãs mais importantes como o Natal e a Páscoa é boicotar-se a si mesmo, perder uma boa oportunidade para falar de Cristo, abraçar pessoas, espalhar fraternidade e carinho numa época em que as pessoas se voltam automaticamente umas para as outras.” Boicote? Perder oportunidade? Espalhar fraternidade e carinho? Não há boicote, há oportunidade todos os dias para falar do amor de Cristo, e espalhar fraternidade e carinho é o que devemos fazer sempre como cristãos. E lembre-se que o assunto é sobre o Natal e não sobre a Páscoa. Mas pense: se devemos comemorar o natal por uma questão cultural devemos também comemorar o carnaval, não acha? Afinal, é culturta brasileira. Chega a ser engraçado.

    A maioria das pessoas supõem muitas coisas a respeito do Natal coisas que realmente não são certas. Não fiquemos nas suposições, busquemos os fatos. O que dizem as Enciclopédias? Leia: A festa do Natal teve sua origem na Igreja Católica Romana e desta se estendeu ao protestantismo e ao resto do mundo. Mas em que se inspirou a Igreja Católica? Não foi nos ensinamentos do Novo Testamento. Não foi na Bíblia e nem nos apóstolos que foram instruídos pessoalmente por Jesus. O Natal se introduziu na Igreja durante o século IV proveniente do paganismo. Sendo que a celebração do Natal foi introduzida no mundo pela Igreja Católica e não tem outra autoridade senão ela mesma. Vejamos o que diz a respeito a Enciclopédia Católica (edição de 1911):

    “A festa do Natal não estava incluída entre as primeiras festividades da Igreja. Os primeiros indícios dela são provenientes do Egito. Os costumes pagãos relacionados ao inicio do ano se concentram na festa do Natal”.

    Na mesma enciclopédia encontramos que Orígenes, um dos chamados pais da Igreja, reconheceu a seguinte verdade: “… não vemos nas Escrituras alguém que haja celebrado uma festa ou um grande banquete no dia do seu natalício. Somente os pecadores (como Faraó e Herodes) celebraram com grande regozijo o dia em que nasceram nesse mundo”.

    A Enciclopédia Britânica (edição de 1946) diz: “O Natal não constava entre as antigas festividades da Igreja. Não foi instituída por Jesus Cristo nem pelos apóstolos, nem pela autoridade bíblica. Foi tomada mais tarde do paganismo”.

    A Enciclopédia Americana (edição de 1944) diz: “O Natal de acordo com muitas autoridades, não se celebrou nos primeiros séculos da Igreja Cristã. O costume do cristianismo não era celebrar o nascimento de Jesus Cristo, mas sua morte. (A comunhão instituída por Jesus no Novo Testamento é uma comemoração da Sua morte).

    Em memória do nascimento de Cristo se instituiu uma festa no século IV. No século V, a Igreja Oriental deu ordem de que fosse celebrada para sempre e no mesmo dia da antiga festividade romana em honra ao nascimento do deus Sol, já que não se conhecia a data exata do nascimento de Cristo”.

    Tomemos nota deste fato importante. Estas autoridades históricas demonstram que durante os três primeiros séculos da nossa era, os cristãos não celebraram o Natal. Esta festa foi introduzida na Igreja Romana no século IV e, somente no século V, estabelecida oficialmente como festa cristã.

    Em Jeremias 40:2-6, Isaías 44:14-17, Oséias 4:13 e Deut. 16:21, vemos que os povos, desde a antigüidade, possuíam o costume de utilizar a madeira bem como as árvores, com fins de idolatria. Muitas dessas árvores ou pedaços de madeira serviam para adoração e culto doméstico. O pinheiro, símbolo natalino, possui a mesma conotação .

    “Assim diz o Senhor : Não aprendais os caminhos dos gentios (pagãos)… Porque os costumes dos povos são vaidade…” (Jr 10:2-3).

    Pesquisem mais e deixemos para trás esse mundo que já está no maligno!

    • Tiago, não sei se vai receber este e-mail hoje depois de 02 anos, mas lendo um pouco a bíblia e artigos ligando a heresia do natal, vi que faz muito sentido preocuparmos com ensinamentos perigosos à respeito do natal.

      Gostaria de manter contato contigo, pois pretendo me aprofundar não só neste assunto, mas tbm em outros como a Páscoa, ensinada erroneamente, contrário ao que diz as escrituras sagradas. Precisamos saber mais se queremos passar a verdade para as pessoas que não têm o conhecimento da verdade. E em se tratando do evangelho isso é muito perigoso.

      Por favor, estou enviando o meu e-mail e gostaria de poder contar com seu apoio. Que a graça do nosso DEUS esteja contigo.

      Att,

      Marcio.

  14. Todos os cristãos deveriam ler isso!

Deixe uma resposta para Adriano Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.